• José Luís Peixoto

ESTADOS DE YUCATÁN E QUINTANA ROO, MÉXICO

7 lugares onde dormir na península de Yucatán, México

Há muito tempo que não fazíamos uma viagem tão planeada, em família, com todos os detalhes escolhidos e sonhados previamente. Foram duas semanas na península de Yucatán que correram muitíssimo bem, que fomos partilhando nas redes sociais. Por isso, à chegada, muita gente nos pediu conselhos. Para essas pessoas e para a nossa memória futura, aqui fica a sugestão de



7 LUGARES PARA DORMIR NA PENÍNSULA DE YUCATÁN, MÉXICO



SEVEN BOUTIQUE APARTMENTS, CANCUN


Apesar da facilidade do voo direto, a viagem é longa até Cancun. Dez horas, com aterragem à noite, quando já está tudo fechado. Depois da travessia do oceano, temos a travessia da noite. Quando é assim, considerando que se tratava de hospedar quatro pessoas, ter um lugar como este Seven à espera ajuda bastante. Ainda mais, tendo em conta que chegámos em dia de furacão. Na manhã seguinte, tínhamos todo o comércio de que precisávamos a pouca distância, antes de sairmos de Cancun e nos dirigirmos para os lugares onde realmente queríamos ir.



HOTEL ZENTIK, VALLADOLID



Este hotel apresenta-se muitas vezes como um “projeto” e, de facto, tem uma forte dimensão conceptual. Os quartos estão distribuídos por uma espécie de floresta exuberante, habitada por todo o tipo de plantas e animais. Para além da piscina, existe uma gruta com água quente, aberta durante 24 horas por dia. Este é um lugar especial, onde se vai para ficar, de onde custa sair. Incrível também são os diversos murais que se encontram na grande extensão ocupada pelo hotel.



HACIENDA CHICHEN, PISTÉ



A pouca distância de Chichen Itzá, este hotel-fazenda impressiona também pela extraordinária natureza que preenche os seus jardins, a sua extrema fertilidade tropical. São inúmeras as espécies de aves que chegam ao topo das suas palmeiras e que, depois, contribuem para a sinfonia coletiva de assobios que se escuta a todas as horas. Adormecer com esse som, depois de ter observado o infinito de estrelas que nos cobre é inesquecível. Além disso, dá-nos a oportunidade de participar numa visita noturna a Chichen Itzá e, na manhã seguinte, estar entre os primeiros a chegar a essas ruínas monumentais, muito antes das hordas de visitantes que vêm dos hotéis da costa.



HOTEL RIO LAGARTOS


Tudo em Rio Lagartos é memorável: a reserva natural quase intocada, a entrada no Golfo do México. Este hotel permite-nos um posicionamento privilegiado em relação a tudo isso. Da varanda do nosso quarto, tínhamos a vista da reserva, com os flamingos lá ao longe, os pelicanos, com as fragatas a preencherem o céu ao final do dia; e todo o porto dos pescadores, com homens a esticarem linhas e a tratarem de detalhes. Além disso, todo o sossego de Rio Lagartos, muito longe das multidões de turistas. Espero ter oportunidade de voltar lá um dia.



EL TAJ OCEANFRONT, PLAYA DEL CARMEN


Não sendo especialmente barato, foi uma extravagância necessária no meio de uma longa viagem. Na primeira linha do mar, a duas ruas da famosa 5ª avenida de Playa del Carmen, este é um excelente lugar para se estar por conta própria. Com cozinha muito bem equipada, máquina de lavar roupa, boa ligação wifi, várias piscinas e todas as comodidades, deu-nos a energia que precisávamos para que as férias continuassem a ser férias.



CASA MEXICANA, COZUMEL



É muito adequado que este hotel tenha a palavra “casa” no nome. Foi o lugar onde estabelecemos mais vínculos, onde sentimos que realmente nos receberam. A administradora interessou-se por saber quem somos, contou-nos histórias da vida de Cozumel, da passagem do furacão Wilma, deu-nos sugestões, apresentou-nos alguns hóspedes que passam estadias regulares no hotel. Foi aqui, com uma magnífica vista sobre o mar, que assisti à chegada do navio-escola mexicano Cuauatemoc e escrevi ESTE POEMA. Incrivelmente, no último dia, a administradora do hotel contou-me que mostrou o meu poema a alguns oficiais do navio.



HACIENDA TRÉS RIOS, PLAYA DEL CARMEN


Dos muitos resorts com tudo incluído que existem entre Playa del Carmen e Cancun, escolhemos este para passar os últimos dias em absoluto descanso. Vale a pena assinalar e aplaudir que se trata de um resort com autonomia energética e uma forte preocupação ambiental, presente nas mais pequenas rotinas. Durante o tempo que lá passámos, com cinco restaurantes diferentes, com uma enorme extensão de piscinas, jardins, diante de uma praia de palmeiras e espreguiçadeiras, a grande dúvida colocava-se de manhã: huevos motuleños o huevos rancheros?




Texto de José Luís Peixoto

Fotos de Patrícia Santos Pinto