• José Luís Peixoto

ESTADOS DE YUCATÁN E QUINTANA ROO, MÉXICO

7 coisas para fazer na península de Yucatán, México


Há muito tempo que não fazíamos uma viagem tão planeada, em família, com todos os detalhes escolhidos e sonhados previamente. Foram duas semanas na península de Yucatán que correram muitíssimo bem, que fomos partilhando nas redes sociais. Por isso, à chegada, muitas pessoas nos pediram conselhos. Para essas pessoas e para a nossa memória futura, aqui fica a sugestão de:


7 COISAS PARA FAZER NA PENÍNSULA DE YUCATÁN, MÉXICO




CENOTE SUYTÚN, VALLADOLID


Uma boa possibilidade de viagem nesta região é encontrar lugar em Valladolid e, a partir dessa base, viajar pela região. Nesse caso, o cenote de Suytún é de visita imperdível. Entre os milhares de cenotes (espaços de água subterrânea, como piscinas naturais) da península de Yucatán, este é um dos mais belos e reconhecidos, o que não significa que seja frequentado por multidões. A entrada é bastante económica e inclui almoço em regime buffet de qualidade aceitável.



HACIENDA SELVA MAYA, VALLADOLID


Também na região de Valladolid, apreciámos muito este cenote, que tivemos o privilégio de desfrutar sozinhos. Tendo em conta o espaço habitual ocupado por este tipo de formações, trata-se de um cenote grande, quase completamente destapado. Também aqui, sobre a densa vegetação da selva, tivemos oportunidade de deslizar em zip line, ao longo de quatro percursos com várias centenas de metros a separá-los. Teria sido ideal irmos ao cenote depois do zip line, e não o contrário. Talvez na próxima vez.



RIO LAGARTOS ADVENTURES



Entre as várias possibilidades de visitar a Reserva da Biosfera de Rio Lagartos, escolhemos esta. No final, percebemos claramente que tínhamos feito uma excelente opção. Não apenas porque o guia foi extremamente atencioso mas, também, porque se trata de um tour com consciência ambiental. Esse cuidado nota-se em muitos momentos. Como quando os outros lançam peixe aos crocodilos e pelicanos, para os ter mais próximos e este, sem o fazer, porque sabe que não deve interferir com a vida selvagem, espera um pouco e, sem esses artifícios, alcança o mesmo resultado.



MUSEO DE LA ISLA DE COZUMEL



Valeu muito a pena termos ido ao museu de Cozumel logo nas primeiras horas que passámos na ilha. Assim, a partir daí, com os fundamentos da natureza e da história deste lugar, entendemos tudo muito melhor. O museu é fácil de encontrar, está no centro da localidade de San Miguel, no edifício que pertenceu a um dos primeiros hotéis.




CANOA MAYA, COZUMEL


Junto à água, a pouca distância da porta do museu, parte-se para esta aventura. Não custa muito aprender o essencial para remar numa canoa maia. No início, parece que vai ser muito difícil, a canoa é grande e pesada, mas, depois, é surpreendente perceber o quanto a canoa se desloca. Fomos integrados numa equipa de cerca de nove remadores e, passado alguns minutos, já estávamos lá longe, a assistir ao entardecer sobre a cidade. Nesse passeio, tivemos também oportunidade de nadar sobre um barco afundado, atravessado por peixes tropicais, imagens extraordinárias que juntámos às do snorkel que tínhamos feito no imperdível Cielo de Cozumel.



EL PUEBLO DE MAIZ, COZUMEL



É como um pequeno parque temático sobre os maias. O guia que nos acompanhou, vestido a rigor, com uma tatuagem nas costas a dizer “Jesus”, tirou logo toda a pretensão e colocou-nos à vontade. Apontou para uma lâmpada elétrica e, como declaração de intenções, explicou que a proposta do parque se tratava apenas de uma aproximação, uma sugestão do que tinha sido a vida no tempo dos maias. Com essa honestidade, lembrando-me das feiras medievais e outras manifestações “históricas” que temos por cá, apreciei muitíssimo este “Pueblo de Maiz”. Fizemos tamales, fizemos chocolate, participámos em múltiplas cerimónias e aprendemos bastante.



RIO SECRETO, PLAYA DEL CARMEN


Esta é a gruta mais extraordinária onde estive na minha vida. Durante cerca de um quilómetro, avançámos dentro de água, caminhando ou nadando, acompanhados por um guia brasileiro, de Santos, estado de São Paulo, bastante divertido e conhecedor. Além da vida animal das grutas, morcegos, aranhas, alguns peixes, deixámo-nos impressionar pelas estalactites, estalagmites e todas as extraordinárias formações deste incrível tesouro natural.





Texto de José Luís Peixoto

Fotos de Patrícia Santos Pinto