• José Luís Peixoto

MERCEARIA ZAYTOUNA, LISBOA

O sabor de querer saber



A história salva-nos da ignorância. A memória, no sentido mais profundo da palavra, não pertence apenas a um indivíduo, à sua experiência limitada. Quando se utiliza o artigo definido, a memória é sempre ancestral, feita de séculos, chega desde o fundo mais fundo do tempo.


Quando entramos na mercearia Zaytouna, é fácil perceber que, como portugueses, temos ligações evidentes a esta cultura. Há muito desta cultura que também é nossa. A mercearia Zaytouna é especializada em produtos do Médio Oriente, fica no Mercado de Arroios (endereço abaixo), ao lado do muitíssimo aconselhável restaurante sírio Mezze.


O que significa Zaytouna em português? A resposta não é difícil de imaginar e, sem precisar de explicação, rapidamente a entendemos ao passar o olhar por certas prateleiras com frascos de azeitonas, assim como de produtos que derivam desse fruto que conhecemos tão bem.



Para além de uma parede de especiarias, a mercearia Zaytouna oferece uma seleção de produtos diversos, doces e salgados, conservas, congelados, molhos, bebidas, etc. Com origem em países como a Jordânia, a Palestina, a Tunísia, o Líbano, a Síria, entre outros.


Somos bem recebidos e há total disponibilidade para explicar qualquer detalhe acerca dos produtos, como podem ser consumidos, ou qualquer dúvida que surja.


Vale a pena visitar a mercearia Zaytouna pelos sabores, pelos aromas, pela viagem. E, também, pela memória.


Somos um país mediterrâneo que não toca o Mediterrâneo. Os mouros não foram um povo que apenas esteve cá; os mouros são um dos povos que fomos.


Entre as minhas compras, trouxe o seguinte:



Presentes na culinária de vários países que pertenceram ao império otomano, desde o norte do Sudão ao sul da Ásia, estes rolos de folhas de videira têm vários nomes. Os turcos chamam-lhes dolma. O recheio pode incluir arroz, pimento, tomate, beringela, entre outras possibilidades.



Melaço de romã. Ácido, bom para temperar saladas ou para cozinhar, comparável ao vinagre. Também é comum usá-lo para temperar o húmus.



Beringelas recheadas com nozes, alho e pimentão, em óleo de girassol. São consumidas na zona do Levante mediterrâneo. Estas são do Líbano.






(Mercearia Zaytouna — Mercado de Arroios, Rua Ângela Pinto, nº19, Lisboa)


Texto e fotos de José Luís Peixoto

© José Luís Peixoto

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube